Natureza clandestina do ser humano

A natureza não é só a terra, a água, o sol, a lua,

o céu, a mata, o inverno, o verão, a chuva…

Mas o ser humano é uma natureza divina,

Uma pureza de essência, oriunda de sua existência

que cristaliza este universo.

O homem é a fatia maior de paraíso oculto

e ele mesmo se abandona e se perde

com suas próprias armadilhas,

sem buscar a razão de sua presença

neste minúsculo ponto em que reside.

Este espaço, que o homem conquista,

não é tão infinito quanto ao seu tamanho interior,

é medido pelo caráter acumulado, num convívio

entre o homem e si próprio.

Talvez, se as pessoas mostrassem seus sonhos

e não suas ambições materiais, e

se explorassem seus sentimentos omitidos

e aniquilados nos corredores do progresso,

se a união entre todos os povos

fosse apenas pelo amor de serem irmãos

e não por interesses incomuns, de uns

subirem o mais alto que seus objetivos,

enquanto muitos nem sequer

conseguem arrastar-se em seus próprios chãos.

Muito do mundo poderia ter outro sentido

se nós vivêssemos aquilo que nasce dentro de nós.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos Posts

Quando descobri o amor próprio

“Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar.

O que se deseja, Desiderata

Siga placidamente por entre o ruído e a pressa E lembre-se da paz que pode haver no silêncio. Tanto quanto possível, sem sacrificar seus princípios,

Send Us A Message