O homem que chorava

Uma lição de vida revelada no Caminho de Santiago da Compostela

Mademoiselle Zaira

Versão impressa, disponível para venda direto pelo site. R$ 29,00

 

COMPRAR
Natureza Clandestina

O primeiro livro do autor foi publicado em Cascavel em 1987.

Digital Mademoiselle Zaira

Capa do livro Mademoiselle Zaira em versão digital

Apenas R$ 4,90 (promoção)

COMPRAR

POSTs

O clima deveria ser contagiante o ano inteiro


Não. O clima não está para chuva, nem para sol escaldante, talvez para temperaturas amenas. Mas, não vou falar do tempo aqui, ainda que hoje veio uma garoazinha em nossa pequena Frangolândia: deveria ser esse o nome da nossa cidade, já que temos uma das maiores cooperativas de frango do mundo. Mas, o clima é outro, bem mais espirituoso e isso só acontece nessa época, por quê? Todo ano é assim. Quando chega dezembro todo mundo começa a se desarmar. É, eu disse todo mundo: é um desarme geral de sentimentos negativos, mágoas, desavenças, dívidas antigas e por aí vai. Até mesmo os trombadinhas ficam mais amistosos e relaxam no plantão das grandes avenidas das capitais, deixando que as pessoas sigam livremente para as suas compras de fim de ano, seja de um presente, seja da aquisição de um novo aparelho para casa, um móvel, enfim, o bazar da felicidade nas lojas e shoppings esparramados pelas cidades.

Bom, por mim, esse clima festivo que contagia a todos deveria perdurar o ano inteiro. Essa espiritualidade do Natal, embora o lado comercial faz sombra na magia do bom velhinho, ainda assim, é contagiante por conta da naturalidade das crianças: se bem que hoje em dia essa criançada já cresce mandando whatsApp para o Papai Noel, que mesmo distante, lá na Lapônia, atende a pedidos caríssimos da modernidade oh! oh! oh! oh! oh!

Eu adoro essa época, mesmo que muitos ainda achem que perdeu-se o verdadeiro espírito natalino. Acredito que ainda exista muitas famílias e pessoas que valorizam isso e, é o que importa. Tenho certeza de que entre Natal e fim de ano, para aqueles que se acham suficientemente fortes e maduros para comemorar solitariamente e planejar o ano vindouro, sentem lá no fundo uma pontada de inveja das reuniões, festas e confraternizações do aglomero de amigos e familiares. Não há clima mais harmonioso do que o fim de ano. E as promessas então para o ano novo: regime, novo emprego, uma nova relação, ganhar mais dinheiro, tirar férias na Europa, trocar de carro e por aí vai… Eu faço minha listinha de desejos com cerca de 15 itens e confesso, cerca de 70% tenho conseguido realizar.

Portanto, está na hora de deixar o clima fluir. O que tinha de ser feito já foi, agora é fazer o balanço - com crise e tudo - do resultado e focar em 2017, com mais energia, mais consistência, dedicação total, mas acima de tudo, muita paz de espírito, sem isso, não adianta nada. Então aproveite o clima contagioso de fim de ano e confraternize o Natal com seus familiares, mas brinde muito o Reveillon pelo que conseguiu neste e ano e prometa tentar melhorar um pouco no próximo, vivendo esse feeling contagiante que nos revigora a cada passagem de ano. Feliz novembro!!!

 

 

Conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

X