O homem que chorava

Uma lição de vida revelada no Caminho de Santiago da Compostela

Mademoiselle Zaira

Versão impressa, disponível para venda direto pelo site. R$ 29,00

 

COMPRAR
Natureza Clandestina

O primeiro livro do autor foi publicado em Cascavel em 1987.

Digital Mademoiselle Zaira

Capa do livro Mademoiselle Zaira em versão digital

Apenas R$ 4,90 (promoção)

COMPRAR

POSTs

Como temperar a relação sexual sem medo


Viver no século XXI não significa que velhos tabus tenham sido extintos. Mesmo em se tratando das mulheres modernas, muitas ainda carregam tabus sobre sexualidade, autoestima e sua posição na sociedade contemporânea. Só o fato de se falar ou citar a palavra sexo, já causa um rubor e preconceito, mesmo com toda informação, tecnologia e educação. As grandes questões são: a hipocrisia da sociedade e autoridades em debater assuntos polêmicos, medo, resistência às mudanças entre outros adjetivos preconceituosos e ultrapassados.

Pesquisas recentes revelam os tabus das mulheres no que diz respeito à relação sexual durante gravidez, na questão do orgasmo, na entrega pelo puro prazer: muitos brasileiros estão realizando poucas preliminares e estão insatisfeitos com sua vida sexual. Portanto, se faltar intimidade e carícias, o casal tende a se afastar sexualmente e amorosamente.

Desde o Pecado Original, coube a carga mais pesada à mulher: a de carregar um sentimento de culpa que deveria ser descartado ou pelo menos dividido com o parceiro. Não é de estranhar que muitas mulheres, dentro desse contexto, desenvolvem dificuldades em sentir prazer e manter seu desejo sexual saudável.

O brasileiro, que se diz ser um povo extrovertido, aberto a diferentes questões, finge na maioria das vezes, pois apenas posa de moderninho para sair bem na foto em relação a outros países. No fundo, ainda carregamos traços de um modelo familiar rigoroso, cheio de preconceitos, onde a mulher, em sua maioria, continua sendo preparada para “um bom casamento” e os homens, ou adoram o conforto e as possibilidades dessa escolha ou, quando se esbarram com mulheres resolvidas e realizadas, fogem de medo. Ou seja, a conta do relacionamento ainda não fecha e o sexo está no meio de ambos, literalmente.

Portanto, falar sobre sexo com o parceiro, procurar ajuda com especialistas, conhecer novas possibilidades e abrir-se para o prazer sem culpa, sem medo de ser feliz, pode trazer muito mais harmonia, prazer, aumentar a autoestima, confiança e saúde.

Uma dica muito interessante atende pelo nome de pompoarismo: uma técnica milenar, oriunda da Índia, a qual serve para a mulher fortalecer e controlar os músculos pélvicos. Isso significa que, além de melhorar a performance e o prazer na relação sexual (jogos amorosos), é bom para incontinência urinária, a queda de útero, queda de bexiga, evita cirurgia de períneo, como também pode eliminar de vez ou aliviar as cólicas e facilita o parto. Vale lembrar que essa técnica é recomendada por ginecologistas e terapeutas, entre outros especialistas da área.

De certa forma, o pompoarismo está ligado aos produtos eróticos, vendidos em sex shops e lojas especializadas. Claro, quando se fala em sex shop, a primeira coisa que vem à cabeça é pura sacanagem, concorda? Pois é, mas não é por aí. Entre tantos acessórios, tem produtos para além das fantasias, sensuais e estimulantes, que podem ajudar a mudar a rotina do café com leite ou do feijão com arroz. É preciso despir-se dos preconceitos e tabus. Afinal, todos buscam uma felicidade plena, inclusive na vida amorosa e o sexo com o tempero certo pode render pratos saborosos com direito à sobremesa, feito um manjar dos deuses.

Existem muitas dicas sobre o assunto, principalmente em sites sobre o pompoarismo e também de sex shop. Vale a pena fazer uma visita em algum de sua preferência ou curiosidade. A minha dica é o www.pompoarismo.com.br, aonde aprendi bastante.

Recentemente, ao fazer uma reportagem para o jornal www.jintegracao.com.br conheci duas pessoas bacanas, que trabalham na área: a Marcia de Cascavel, que há 9 anos vende produtos e promove reuniões com mulheres, e a Stella Alves de São Paulo, a qual ajudou a difundir a técnica do pompoarismo, a partir de 1996, no Brasil, depois em Angola, Portugal e Itália. Então, quando você que ainda não teve curiosidade criar coragem para usar produtos eróticos, vai entender que é possível aprender muito mais sobre o corpo e as áreas erógenas do parceiro e vice-versa. O resultado vai ser ver estrelas, ouvir o passarinho cantar (com o piu-piu também), flutuar nas nuvens de algodão dos lençóis macios, ver um filminho agarradinho e depois dormir de conchinha, deixando sonhos e fantasias fluirem deliberadamente.

 

Conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

X